segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

O que é mais difícil em ser gorda?

A pior das coisas é o quanto a vaidade diminui. Vestir o que cabe, sem poder escolher, as estampas e cortes nunca cairem bem, não poder usar coisas que estejam na moda, etc.
A vergonha de depilar, de tirar a roupa perto de quem quer que seja, usar biquini. Com o tempo, vai diminuindo a vontade de cuidar do cabelo, de fazer fazer as unhas, de se vestir pra sair/trabalhar.
Tudo isso parece um martírio. Você vira refém de ser gordo. Não pode comer coisas gordas que te olham torto; se come coisas saudáveis, duvidam da sua mudança e ficam provocando até você comer algo fora da dieta.
Dá vontade de ficar de pijama, em casa, o dia todo e não falar com ninguém.
E as fotos? PÂNICO define. Tirar umas 30 fotos pra uma ficar boa... Ver minha barriga nas fotos é a sensação mais tenebrosa. Minhas roupas ficando apertadas também me incomodam muito.
A gente deixa de curtir muita coisa por ser gordo, vai se isolando do mundo (pelo menos quem não sabe lidar com as piadinhas, como eu).
Mas não posso ser hipócrita e deixar de assumir a minha responsabilidade nisso tudo. Eu já me isolava antes de ser gorda. Foi uma consequência engordar. Havia muito sofrimento em mim e eu os escondia com comida.
Hoje, eu não tenho motivos para estar triste, porque então continuo sem força pra resistir à comida?
Tem dias que me pego reproduzindo o discurso de quase todo gordo relativamente intelectualizado: "não sou só gorda, tenho inúmeros outros adjetivos"; "pelo menos eu penso"; "não me rendo ao padrão da mídia";  "tenho cérebro", entre tantos outros, como "não preciso agradar ninguém".
Tudo isso realmente é verdadeiro, mas vou passar a vida toda inventando desculpa pra continuar gorda?
Eu não preciso agradar ninguém (além de mim mesma, claro) e tenho outros adjetivos e também não preciso seguir um padrão imposto pela mídia.
Mas preciso comer a ponto de perder o controle e continuar gorda mesmo sabendo todos os riscos à saúde que a obesidade traz?
Preciso da culpa que sinto por ter engordado? Preciso elevar meu risco de problemas cardiovasculares, sobrecarregar minhas articulações, comprometer meu fígado e rins, além de descontrolar a pressão arterial e poder desenvolver diabetes?
NÃO, eu não preciso de nada disso. Eu preciso de ajuda para achar o meu jeito de estabelecer minha saúde e um peso adequado.
Eu tinha pensando em escrever no prazer que eu tenho em comer, mas ele não vale todos estes riscos a que estou sujeita.
Estou melhorando meus argumentos para querer emagrecer, mas parei o texto no parágrafo anterior para buscar um pacote de biscoito. =(
Preciso identificar melhor onde começam os pontos de erros que me levam a deixar tudo (rotina, exercício, alimentação, água).
Questão para próxima sessão de terapia que, ainda bem, é amanhã.


ESCRITO EM 21/11/12

2 comentários:

.Mih Moreno. disse...

Nosssaaaa nessa parte da vaidade praticamente falou de mim... num tempo não mto distante...

O caminho é dificil, mudar é uma caminho penoso, porem gratificante.

Vamos dar as mãos, e seguir em frente.
Vc já assistiu o video: 'muito além do peso'?
Tem no youtube fácil, ou no meu blog no post de ontem.

Já leu pense magro? Se não, eu tenho ele em pdf.

Força amiga, força, os dias de descrença sempre vem, mas temos q ter um foco maior q ela.

bjo, Mih.
opcaosermagra.blogspot.com

Nice Franco disse...

Quando eu escrevi esse texto ainda tava me decidindo sobre voltar ou não pra academia, às voltas com mil questionamentos...
Olhar agora é até interessante pq encaro de outra forma, já são quase 2 meses e eu tô firme.
O grupo me ajuda muito!! Tanto o Magreletes quando a Blogosfera... bom demais poder dividir, né?
Eu ainda não vi o video, mas estou lendo o livro, peguei no Magreletes. Tenho pouco tempo, então acabo fazendo uma coisa por vez.

Obrigada pela visita.