segunda-feira, 12 de maio de 2014

Na luta

Eu tô aqui revendo a vida, assistindo novela, pensando em como resolver coisas que não sei como resolver.
Problemas familiares me desestabilizam um tantinho razoável. Juro que eu tento não me entregar, levantar a cabeça e seguir em frente, mas eu realmente fico triste alguns dias por ter uma família tão complicada.
Tenho quatro irmãos e o relacionamento com dois deles não é bom, infelizmente. Tivemos fases menos piores, mas há um ano aproximadamente não nos falamos eu estou com nó na garganta. Eu tento me convencer que as coisas aconteceram como deveriam ter acontecido, que não tem nada que eu pudesse fazer diferente, mas acabo sempre achando que tenho uma pontinha de culpa na briga (mesmo não tendo).
Não gosto de ficar por aqui reclamando, mas hoje tá doendo. Na verdade, dói sempre que eu sei notícias deles, e óbvio que minha mãe mantém o contato (é mãe, afinal) e as notícias chegam quase que diariamente.
Gostaria de poder não saber mais, cada um seguir o seu caminho. Mas é bem comum saber que eles andaram distorcendo o que realmente aconteceu e se fazendo de vítimas para os outros parentes, me pintando como um capeta. Eu, estou escrevendo aqui pra não sufocar, porque evito falar sobre isso até com a minha mãe, já que todos são filhos e não deve ser confortável pra ela nos ver falando uns dos outros e também pq acho que ando sobrecarregando meu namorado com tanto drama.
Daí sobrou o blog.
É isso, vou procurar dormir e me acalmar que um dia tudo se resolve da melhor forma que for possível.

2 comentários:

Projeto Gabriela disse...

Realmente, brigas familiares tiram a nossa base, tiram a nossa razão. Eu tenho problemas assim, mas comigo é ao contrário. Me dou bem com meu irmão, mas minha relação com a minha mãe e muito distante e já foi cheia de ofensas e até agressão física. Hoje em dia, deu uma amenizada, não é a mesma coisa mas já melhorou muito. Quem sabe um dia nós podemos ter uma relação saudável sem mágoas? Eu não digo não a essa possibilidade então entrego na mão de Deus.

Karen M.A. disse...

Querida, utilizamos o blog como terapia mesmo, se não encontras outra forma, nada melhor que escrever e desabafar com quem está de fora do assunto...compreendem melhor.
Hoje em dia não vivo conflito familiar. Meus pais são separados, mas se dão muito bem. Moram em cidades diferentes e, de vez em quando, meu pai vem nos visitar. Minha infância e adolescência não foram fáceis, mas sempre tive apoio de avós e tios maternos. Quase não possuo contato com familiares paternos, lado em que tenho primos, pois dos tios mais próximos, lado materno, nenhum tem filho e sou filha única, então... em certos momentos me senti bastante sozinha. Descontava as mágoas na comida...bem, passado!
Nice, acredite que as coisas vão melhorar, deixe o tempo passar, tenha fé. Querendo ou não, irmãos são importantes, pode ser que os seus enxerguem isso com o tempo e te deem valor, mas fica calmo...deixa o tempo mostrar.
Bjos