sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Novos tempos, novas ideias...

Estive falando com amigas que estão QUASE  me convencendo a divulgar este blog simplório e dividir dicas gerais, mas principalmente as que me levaram a conquistar um estilo de vida bem mais saudável do que eu tinha antes.
Vamos lá, estou considerando a ideia, viu meninas!
Vou contar um pouquinho de como a atividade física passou a fazer parte da minha vida.
Na  infância e adolescência e era muito ativa, sempre jogando alguma coisa na rua. Não parava em casa, não comia direito. Chegava a ser magrela. Fazia teatro, coral, trabalhava (sim, comecei aos 11 anos), jogava volei e não tinha tempo - nem necessidade - de pensar em sobrepeso.
Aos 14 vieram algumas mudanças. A principal delas foi de cidade: saí de Guaíra para São José do Rio Preto, pra ser balconista da padaria de uma das minhas irmãs. Eu  não queria vir. Estava no meio da oitava série, planejando viagem de formatura, cheia de planos, namoradinhos... e não queria mudar de jeito nenhum.
Já vim com má vontade. Demorei séculos pra fazer amigos, porque vivia emburrada pelos cantos.
Minha única compensação, vejam só, a deliciosa comida da padaria. Era uma padaria de especiarias mineiras (pão de queijo, biscoito, broa) e eu me matava de comer. Era meu único momento de diversão.
Fora isso, só trabalhava e frequentava a escola. E comia, comia, comia, comia e comia.
Concluí o ensino fundamental e fui estudar a noite. Passei a trabalhar o dia todo, ainda na padaria, e agora tinha ainda mais tempo para comer.
Não sei precisar quantos quilos engordei, porque foi um processo muito gradativo, com várias "sanfonas" no caminho.
Mas o interessante é que eu não me achava gorda, ao contrário, me achava até bonitinha. Nunca me achei linda, mas também não me achava tão feia assim.
Bom, tudo lindo, maravilhoso, terminei ensino médio, passei pra faculdade e aí sim bagunçou geral. Imaginem a combinação bombástica: alimentação irregular, noites mal dormidas, sedentarismo = quase 30 kg em 4 anos de faculdade.
Mas ainda assim, eu não me enxergava gorda, continuava me achando inteligente, interessante e um pouco bonita. Até pegável....rs
Daí que tive um namorado praticamente durante todo o curso na faculdade.. ele me elogiava, eu acreditava e estávamos ótimos.
Até que nos separamos, veio a formatura e quando chegou o álbum eu levei o maior susto da minha vida: AQUELA PESSOA OBESA DAS FOTOS NÃO PODIA SER EU. Gente, como me senti horrorosa. Pela primeira vez, me enxerguei de fato, obesa. Incrível que ainda assim, reatando o namoro, pra mim ficou tudo certo porque ele gostava de mim como eu era (e eu achava que isso era mais que suficiente - outra pessoa gostar de mim no meu lugar). Novamente deixei de me preocupar, não tirava fotos, não me via gorda, tinha uma  namorado apaixonado e isso me bastava. Pra mim, o importante era a aprovação externa... que boba eu era.
Mas daí, fui desleixando muito... comia absurdamente mais do que precisava. Passava mal. Me detestava, nada meu estava bom. Projetava toda minha insatisfação em comida.
Mas a vida.... a vida é uma caixinha de surpresas, como diria Joseph Climber.
O namoro foi esfriando, namorado não me elogiava mais, não sentia tesão mesmo (o que era totalmente compreensível, tendo em vista que eu não me cuidava em nada. Ninguém gosta de quem não gosta de si mesmo, né).
Circunstâncias do destino,  arrumou emprego em outra cidade,  mudou-se, eu fiquei. A distância só concretizou o que já se anunciava: pouco mais de 6 meses depois namorando à distância, ele conheceu outra pessoa e me deu um belo de um pé na bunda. É minha gente, tem que ter muita coragem pra assumir uma coisa dessas, mas minha história é de superação e não de tristeza.
Claro que chorei litros, queria matá-lo com um faca de pão e tudo... mas, passada a raiva inicial, me veio um questionamento que eu nunca havia me feito: AFINAL, QUEM EU SOU??
Por insegurança, falta de amor próprio, medo de não ser aceita, eu vivia fazendo as coisas que ele gostava e pior, FINGIA também gostar. Fui, ao longo do tempo, esquecendo quem eu era, perdendo minhas características e tudo isso graças a mim mesma. Era tudo tão estável, tão tranquilo. Foi um choque e tanto, um término pelo telefone, em pleno expediente de trabalho. Mas enfim.
Chegamos onde eu queria. Passou o choque e precisei decidir o que fazer com as horas livres que me sobrariam a noite, já que nos falávamos em torno de 2h diariamente.Como dor de corno, fui pra academia. (Podem rir, é engraçado mesmo). Isso tudo foi em 05/04/2010, meu primeiro dia sério na academia.
Eu mais chorava do que fazia qualquer outra coisa. Os pensamentos me faziam sentir culpada por tudo, ficava pensando no que podia ter feito diferente pra que isso não acontecesse. Eu poderia ter me amado mais, só isso. Mas as coisas acontecem exatamente como tem que ser.
Bom, no começo, a academia servia a apenas pra ocupar as minhas horas. Eu enrolava, não levava a sério. Continuava comendo mal.
Até que percebi que mesmo não sendo lá a melhor aluna, meu corpo estava melhorando. Fui decidindo fazer algumas trocas alimentares, ter mais disciplina na frequência e assiduidade do treino e hoje, 1 ano e 7 meses depois, lá se foram 14.6 kg.
Pode parecer bem pouco pra quem olha de fora, mas pra mim foi uma árdua batalha e da qual saí vitoriosa. Tenho muito orgulho de mim por ter me redescoberto e poder ter enxergado a mulher que sou. Parei de me esconder no rótulo de menininha. E isso, por menor que pareça é uma grande conquista.
O texto ficou  meio grande, mas pra vocês me conhecerem e entenderem melhor como tudo começou eu precisava deste pequeno "livro" pra ficar mais fácil a compreensão.

5 comentários:

@JesykaLemos disse...

que texto lindo, que história linda, que amiga linda que tenho ;)

é isso ae, Nice, a sua mudança externa e interna é perceptível a todos os que estão a sua volta e isso me faz me espelhar em você e ter vontade de mudar também.

parabéns por suas conquistas o//

Pin-up Gordinha disse...

Sua historia é inspiradora Nice !!!
Quase 15 kg não parece pouca coisa não !
As adversidade da vida faz a gente crescer um bocado não ?!
Minha historia é um pouco diferente , eu comecei a engordar , era bem magrinha , e qto mais eu engordava , mais eu me deprimia e me paralisava , comia por ansiedade , engordava mais e me deprimia mais ainda .Foi a poucos anos que consegui me aceitar , me amar de verdade , me achar bonita que a depressão foi passando e eu pude ter uma vida mais saudavel , ainda sou bem gorda , mas quero emagrecer aos poucos tbm , emagrecer de maneira saudavel , neste resgate da auto estima emagreci 20 kg sofridos , mas há alguns meses eu estava desanimada , recuperei 5 kgs , mas conversar com vc me deu um animo pra correr atras !dar um up ! vc é meu maior exemplo de que qdo a gente coloca uma meta na vida a gente consegue .

Vai pensando com carinho sobre a ideia do blog tá .=D

Bjo linda

PS: Vc sempre foi linda ,antes tbm , eu sempre achei .

Nice Franco disse...

Então, Fer, tenho escrito mais aqui, estou me animando sim, mas queria umas dicas pra ficar com formato lindo que nem o seu, formas de divulgar...
Não tenho ideia de como divulgar, por exemplo.
Fico MUITO feliz que vc tenha se animado a retomar as atividades físicas, pq nossa, parece que quando a gente se junta, tudo fica menos difícil!
e vamos agilizar nosso almocinho!

Maíra Queiroz disse...

Lindo e corajoso depoimento. Cultivar a nossa auto-estima, o nosso bem estar, a nossa beleza interna e externa (por que não?)...desafios grandes na nossa sociedade contemporânea. Parabéns pelo blog. Descobri ao acaso e gostei muito!!! Sucesso no seu caminhar...

Nice Franco disse...

Maíra, muito obrigada pelo comentário... Motiva muito comentários positivos!